No momento você está vendo CIIR leva “Programa de Qualidade de Vida” ao Parque do Utinga e incentiva a população a combater o sedentarismo

CIIR leva “Programa de Qualidade de Vida” ao Parque do Utinga e incentiva a população a combater o sedentarismo

Na manhã deste domingo (10), cerca de 50 profissionais do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), que aderiram junto à instituição à “Caminhada para a saúde”, uma ação de educação em saúde conduzida pelo “Programa de Qualidade de Vida”, celebraram o Dia Mundial de Combate ao Sedentarismo, data lembrada hoje e realizada no Parque Estadual do Utinga – Camillo Vianna –, em Belém. 

Organizado pelo Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), a iniciativa teve o objetivo de alertar a população para as graves consequências causadas pela falta de exercícios físicos e, paralelamente, incentivar à prática de uma vida saudável como estratégia à prevenção de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes

A “caminhada” foi realizada em meio a uma abordagem a comunidade do Parque que tratou da importância do esporte na vida de uma pessoa e dicas de como deixar de lado a vida sedentária. 

“Este Parque é um dos principais destinos dos paraenses para a prática do esporte e aproveitando o ambiente propício em meio à natureza, o CIIR fez referência ao dia (de combate ao Sedentarismo) em prol da saúde e do bem-estar de todos, pois o CIIR é uma referência no cuidado centrado na pessoa. Com o grande fluxo de visitantes, porque nem todos vêm aqui para a prática esportiva, às vezes para o lazer em família ou trabalhar, tivemos a iniciativa de realizar a ‘Caminhada’ para atingir a todos os públicos e conscientizá-los”, destaca Wellem Cavalcante, uma das coordenadoras da ação.

Ainda de acordo com Cavalcante, o Centro desenvolve o Programa de Qualidade de Vida em parceria com a equipe de nutrição, no CIIR, mas a partir deste domingo, “uma vez ao mês, nós vamos convidar os nossos profissionais para realizar atividade física externamente. Pode ser uma caminhada, pedalar, correr, enfim. Os nossos usuários também serão convidados”.

Visitante no Parque e uma das abordadas durante a ação do CIIR, a pedagoga Luciana Maués, de 34 anos, revelou que há um tempo está aos poucos retornando às práticas esportivas no Utinga e destacou a iniciativa ser salutar como intuição de saúde.

“Quando eu vi a ação do CIIR voltada para uma atividade que estimulasse a questão de sair desse sedentarismo, eu achei muito válido, por conta dessa estimulação realmente, para que as pessoas possam ter uma qualidade de vida em todos os aspectos, como foi mencionado na abordagem. E acredito que ações voltadas nesse sentido não é apenas físico, mas em todos os sentidos como emocional, que libera endorfina, então melhora realmente a questão da qualidade de vida como um todo”.

Diariamente, a instituição incentiva os reabilitandos para a prática de esportes adaptados e Circuito Funcional por meio do Judô, Canoagem, Vôlei, Polo Aquático, Basquete e a Bocha. Para o profissional de educação física da instituição, João Rodrigues, a falta de exercícios físicos pode causar a obesidade gerando diversos tipos de doenças, tais como, a hipertensão e diabetes. 

“Além do mais, piora a qualidade de vida; a memória ganha-se com práticas esportivas. O esporte, para qualquer pessoa, seja com ou sem diagnósticos de deficiência, é muito importante para a manutenção do nosso corpo. Sabendo disto, toda semana os reabilitandos têm como suporte terapêutico, o esporte”, descreve o terapeuta, que complementa ainda a importância do Circuito Funcional para integrar as modalidades de vôlei e canoagem, proporcionando agilidade e coordenação motora para as pessoas com deficiência intelectual, a exemplo, os autistas. 

O profissional destaca que são diversos os benefícios das atividades físicas. “Para um usuário com diagnóstico de paralisia cerebral, por exemplo, estimula o tônus muscular, o equilíbrio corporal, o controle de tronco, a coordenação motora e noção espacial, tudo para que ele possa ter também, inclusão social na sua rotina fora do CIIR”, analisa. 

João Rodrigues complementa que, de acordo com o perfil do reabilitando, a equipe multiprofissional monta o plano terapêutico incluindo o esporte adaptado como um dos suportes no acompanhamento clínico de reabilitação. “Estimular a prática de exercício físico para nossos usuários deixa a terapia mais estimulante e prazerosa a eles. O retorno terapêutico é muito perceptível, pois conseguimos notar rapidamente as evoluções dos quadros clínicos dos usuários nas atividades”. 

Estrutura – O CIIR é referência no Pará na assistência de média e alta complexidade às Pessoas com Deficiência (PcDs) visual, física, auditiva e intelectual. Os usuários podem ter acesso aos serviços do Centro por meio de encaminhamento das unidades de saúde, acolhidos pela Central de Regulação de cada município, que por sua vez, encaminha à Regulação Estadual. O pedido será analisado conforme o perfil do usuário pelo Sistema de Regulação Estadual (SER).

Serviço: O CIIR é um órgão do Governo do Pará administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O Centro funciona na rodovia Arthur Bernardes, n° 1.000, em Belém. Mais informações: (91) 4042-2157 /58 /59.

Por Agência Pará

Deixe um comentário