Parque do Utinga será a sede da segunda edição da Grande Bioblitz do Hemisfério Sul

Parque do Utinga será a sede da segunda edição da Grande Bioblitz do Hemisfério Sul

O Bioblitz é um evento internacional em que pessoas se dedicam a registrar, por meio de fotografias ou gravação de som, as espécies vivas durante a primavera

A segunda edição da Grande Bioblitz do Hemisfério Sul (GBS) será de 22 a 25 de outubro, e o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), por meio das Diretorias de Gestão e Monitoramento das Unidades de Conservação (DGMUC) e de Gestão da Biodiversidade (DGBio), é o organizador local dessa edição em Belém e Região Metropolitana (RMB). Trata-se de um evento colaborativo, que acontecerá de forma online através da plataforma iNaturalist onde cientistas-cidadãos compartilham registros fotográficos da biodiversidade local.

Os amantes da natureza podem participar do evento com registros da biodiversidade do Parque Estadual do Utinga “Camillo Vianna”, ou de qualquer lugar da RMB, que esteja em contato com a natureza. A proposta da GSB é que todos possam dedicar um tempinho para a olhar a sua volta, e perceber o quanto é rica a nossa biodiversidade.

O Bioblitz é um evento internacional em que pessoas se dedicam a registrar, por meio de fotografias ou gravação de som, todas as espécies vivas em diversas áreas do Hemisfério Sul durante a primavera. O objetivo do evento é mobilizar o maior número de pessoas a registrar a biodiversidade dos locais onde elas vivem. Todos os seres vivos como animais, plantas e fungos podem ser fotografados (exceto humanos e animais domésticos, como cães e gatos).

O Ideflor-Bio informa que os registros realizados simultaneamente nos mais de 100 projetos participantes do evento este ano, após devida identificação, contribuirão com pesquisas científicas e para que todos conheçam mais das espécies que ocorrem na nossa região, por isso é chamado de ciência cidadã.

Para participar é necessário utilizar o site ou aplicativo do iNaturalist no celular. O primeiro passo é criar login e se cadastrar na plataforma através do link: https://www.inaturalist.org/ em seguida procure o nome do projeto da sua cidade (Belém e Região Metropolitana 2021), https://www.inaturalist.org/projects/grande-bioblitz-do-hemisferio-sul-2021-belem-e-regiao-metropolitana-pa-brasil).

iNaturalist é uma plataforma que auxilia os aventureiros e aventureiras a registrar as espécies, dando dicas e informando em tempo real qual a espécie encontrada, inclusive se ela é um novo registro de ocorrência para a região. O aplicativo do iNaturalist está disponível para download gratuito na Play Store para Android e IOS.

Clieque aqui, e conheça mais sobre o evento e os outros países e cidades participantes.

E, aqui, o site onde você obtém mais informações.

Este ano, além de registros fotográficos, os participantes do evento no Parque Estadual do Utinga, poderão contar com um atrativo a mais, como passeios guiado pelas trilhas Água Preta, Patauá, Yuna, Breu Branco, Castanheira e Mariana.

O percurso dentro da Unidade de Conservação será guiado por condutores habilitados pelo Ideflor-Bio, e proporcionará aos participantes, observação da vida silvestre, pássaros, além de instruções quanto aos cuidados que devem ser adotados para a preservação da biodiversidade. 

Serão 95 vagas ofertadas, o passeio é gratuito, e os grupos serão formados com até 15 pessoas. O Ideflor-Bio destaca que para a realização das atividades é importante que cada participante utilize roupas leves, repelente, protetor solar, boné, garrafa de água e binóculos se houver. 

Para participar das trilhas guiadas, os interessados devem se inscrever, por meio do site.

Confira a programação dos passeios nas trilhas:

22/10 – Trilha da Água Preta – 15 vagas – observação de vida silvestre, saída às 8h;

22/10 – Trilha do Patauá – 15 vagas – observação de vida silvestre, saída às 8h;

23/10 – Trilha do Yuna – 10 vagas – observação de aves, saída às 06h;

23/10 – Trilha do Breu Branco – 15 vagas – observação de vida silvestre, saída às 8h;

24/10 – Trilha do Yuna -10 – vagas – observação de aves, saída às 06h;

24/10 – Trilha da Castanheira – 15 vagas – observação de vida silvestre, saída às 8h;

25/10 -Trilha  da Mariana-15 vagas – observação de vida Silvestre, saída às 8h.

Confira a extensão e tempo estimado de cada passeio:

Trilha da Água Preta – extensão de 1.761 metros, tempo estimado de 70 minutos e público-alvo a partir de 15 anos. O percurso da trilha ocorre às margens do Lago Água Preta. O trajeto chama a atenção por seu aspecto cênico e também pela floresta, que apresenta diversas árvores, cipós, um solo conservado e uma grande diversidade da flora

Trilha do Patauá – extensão de 765 metros, percurso estimado de 35 minutos e público-alvo a partir de 12 anos. A trilha foi nomeada em homenagem a uma palmeira de Patauá (Oenocarpus batava) com aproximadamente 25 metros de altura localizada no interior da trilha.

Trilha da Castanheira – Percurso de 1555 metros, tempo estimado de 60 minutos, público-alvo a partir de 15 anos. No percurso os participantes conhecem a beleza singular da castanheira centenária (Bertholletia excelsa) que dá nome a trilha. O acesso é realizado pela estrada principal do Parque Estadual do Utinga, entre o Lago Bolonha e a Trilha do Macaco.

Trilha da Mariana – Sua  extensão é de 807 metros, tempo estimado de 20 minutos e público-alvo a partir de 12 anos. A trilha possui obstáculos naturais e algumas áreas alagadas. Um dos pontos altos são as construções da época da Cabanagem, que eram usadas como rota de fuga, de acordo com relatos históricos.

Trilha do Yuna – Sua extensão é de 1000 metros e tempo estimado de 30 minutos, público-alvo a partir de 07 anos, sendo a única trilha que permite ser realizada também de bicicleta. Ela está presente nas margens do rio Yuna, que leva água para ser tratada na estação de tratamento de São Brás, sendo responsável pelo abastecimento de água em Belém. Além disso, é possível chegar até as atividades de ecoturismo do Parque, como boia cross, rapel e tirolesa, localizados no final do percurso da trilha.

Trilha do Breu Branco – A trilha possuí extensão de 2.500 metros, tempo estimado de 3h e público-alvo a partir de 10 anos, considerada  a trilha mais longa do Parque. O percurso da trilha é composto por floresta primária, sendo possível encontrar uma espécie vegetal chamada “Breu Branco” (Protium heptaphyllum), de porte arbórea, que é usada para fins medicinais e para a produção de cosméticos.

*Por Aldirene Gama (IDEFLOR-BIO)

Gabriel Nascimento

Assistente de Comunicação

Deixe uma resposta